Desenvolvimento de Pessoas e Equipes

contato@comexpressao.com.br 55 (21) 2242-8266 ou 55 (21) 99979-4957
Comunicação Interpessoal

claudia mourao

Por Claudia Mourão*

A Comunicação humana é instrumento fundamental nas relações interpessoais. É através das interações verbais e não verbais que realizamos contato entre as pessoas e buscamos alcançar objetivos. Também, é através da comunicação que muitos conflitos acontecem, principalmente por falta de habilidade para comunicar bem.

Para desenvolver habilidades de comunicação faz-se necessário ampliar a capacidade de percepção em relação a si mesmo e ao outro. Quando se fala em autoconhecimento, são poucos os que procuram conhecer a si mesmos, já que não há receita formatada para se auto-descobrir. No entanto, ao permitirmos que o nosso interlocutor se pronuncie e descreva sua percepção sobre nós, começamos a conhecer informações que estão no campo de decodificação do outro. Esta prática de feedback é um excelente exercício para ampliação do autoconhecimento. Vale lembrar que é necessário que a pessoa que recebe o feedback faça sua auto-análise e verifique quais são as ações que estão sendo expressadas por si mesma, que deixam margem para tais interpretações por parte do outro.

O processo de comunicação pessoal implica em um conjunto de elementos que, reunidos, expressam a mensagem que se deseja transmitir. Segundo pesquisa do Prof. Albert Mehrabian, da Universidade da Califórnia, quando nos comunicamos presencialmente – especialmente se for o primeiro contato com o interlocutor – utilizamos recursos pessoais verbais e não verbais, a saber: VOZ – FALA – CORPO. Considerando a qualidade e a intenção que é transmitida pela voz, considera-se que a VOZ tem um impacto de 38% no processo comunicativo. As expressões não verbais – gestos, posturas, movimentos, expressões faciais – correspondem a 55% do impacto no processo e, a mensagem em si, transmitida por meio da fala, tem o impacto de 7% no processo de comunicação.  Este conjunto colabora para que o interlocutor avalie o comunicador, decidindo mentalmente em relação à aceitação ou abertura para continuar a comunicar-se com ele, ou não.

A PNL – Programação Neurolinguistica é um estudo sobre a estrutura da experiência subjetiva do ser humano e do que pode ser feito com ela – segundo definição de um dos seus precursores, Richard Bandler. De forma mais simplista, trata-se de um conjunto de ferramentas com base na linguagem e nos canais sensoriais (os sentidos), para usar melhor o nosso cérebro e obter resultados interativos melhores. Ao dedicarmos atenção ao nosso interlocutor podemos descobrir de que forma ele prefere se comunicar e, com isso, podemos atender sua preferência, ajustando nossa comunicação ao outro. Da mesma forma, estaremos estabelecendo o rapport (confiança, sintonia), de maneira que o nosso interlocutor também entre nesta sintonia e se disponibilize para que a comunicação se estabeleça de forma harmônica.

Tenho uma crença forte de que nossa ATITUDE faz toda a diferença nas interações pessoais e profissionais. Lembre-se de que mais da metade do impacto do processo comunicativo está revelado pela comunicação não verbal. A ATITUDE faz diferença para despertar no outro o desejo e interesse em disponibilizar-se para ouvir o que pretendemos dizer. A escolha da ATITUDE que vai adotar ao se comunicar depende de cada um de nós. Pense nisso!

*Sócia-Diretora da Comunicação e Expressão Consultoria Especializada. Fonoaudióloga, Coach e Consultora em Comunicação Humana, ministra cursos de Técnicas de Apresentação e Oratória. Profissional com mais de 15 anos de experiência em treinamento e capacitação de líderes e equipes.

Deixe seu comentário